A Festa da DEMOcracia na Bahia

31/10/2012

A Derrota do PT, de Jaques Wagner e a Avaliação Necessária

Por Fábio Brito

… E uma multidão gritava esfuziante, ÔÔÔ ACM voltou, ACM voltou…

Balançavam suas bandeiras, sorriam, pulavam…

A imagem descrita acima nos remete a um acontecimento impossível de se vislumbrar como algo verdadeiro. Acredito que muitas pessoas devem ter se beliscado para ter a certeza de que não estavam tendo um pesadelo e que a eleição iria começar logo mais.

Mas não era. Aquilo tudo era real. Autêntico, e, desta vez, a direita baiana, soteropolitana, uma das mais retrógradas do Brasil, não precisou pagar famélicos cidadãos e lotar ônibus para fazer número e encenar falsa alegria para poder receber alguns tostões e um lanchinho logo mais, como um dia foi costume nestas plagas.

Acreditem! Eu vi! Cidadãos baianos felizes com a vitória de ACM Neto!

Passado o estarrecimento dos primeiros momentos, fiquei a me perguntar como algo assim se tornou possível num Estado, que, após muito tempo, era governado pelo Partido dos Trabalhadores, pelo segundo mandato consecutivo.

Quando algo tão estapafúrdio, inacreditável assim, acontece diante de nossos olhos, temos a obrigação de nos deter um tempo maior para analisar a situação com a acuidade que o fato nos exige.

Propaganda Eleitoral

Na propaganda eleitoral, a meu ver equivocada, mas que não acredito ter atrapalhado, no mínimo, Pelegrino se equiparou a ACM Neto, o que, por si só, não deixa de ser um grave erro. O estilo usado que é, no fundo, o mesmo que se usa para se vender uma marca de sabão qualque,r parece ter cumprido seu objetivo.

Acontece que o PT não é marca de sabão que se escolhe numa prateleira qualquer. Este é o partido que tirou mais de 40 milhões de pessoas da miséria. Que abriu as universidades, o conhecimento de terceiro grau, a milhares de brasileiros que nem sonhavam com isso, pois não acalentavam perspectivas maiores em suas vidas, que a de ser algo a mais que um pedreiro, porteiro, cobrador de ônibus ou zelador.

Este Partido, foi responsável por trazer para o mundo oficial do trabalho, com os direitos que a Lei brasileira lhes assegura, mais de 15 milhões de cidadãos, que, a partir de então, passaram a se sentir como tal. “Um homem se humilha, Se castram seu sonho, Seu sonho é sua vida, E vida é trabalho… E sem o seu trabalho, O homem não tem honra, E sem a sua honra, Se morre, se mata…” Esta música do saudoso Gonzaguinha me fez chorar por diversas vezes quando a escutava nos anos FHC.

É o Partido do Bolsa Família, PROUNI, Reuni, Minha Casa, Minha vida, PAC, Luz Para Todos.

A propaganda equivocada do PT não conseguiu fazer frente à de ACM Neto, que capturou as bandeiras do PT e se cacifou junto ao eleitorado soteropolitano.

ACM Neto escolheu uma vice prefeita mulher e negra, como Pelegrino. E, muito embora muito mais qualificada eleitoralmente que Célia Sacramento, Olívia Santana quase não apareceu nos programas. E isto se deu mais no final.

A propaganda do DEM conseguiu colar os problemas da cidade de Salvador na conta do Governador e não na administração desastrosa de João, aí vinha Pelegrino e dizia que a cidade estava um caos… Fala sério!!! Poderia dar em que?

Desempenho do Governador

Aliás o desempenho de Jaques Wagner como Governador a quantas andava? Em sua administração como estavam os índices de aprovação? Porque ele apareceu tão pouco nos programas de Pelegrino?

Os cidadãos baianos em sua maior parte avaliavam a sua gestão como mediana, segundo as pesquisas do IBOPE de 13/09/2012, no entanto, o viés era bastante negativo, com somente 3% avaliando-a como ótima e 26% como péssima.

Como foi possível chegar a este ponto? Pessoalmente pude verificar algumas situações que podem elucidar estas dúvidas:

  1. A greve dos professores mostrou a toda a população baiana um Governador intransigente que usou os mesmos expedientes que a Direita baiana sempre usou. O Governador sacolejava diante das câmeras a condenação pela Justiça da greve que a considerou ilegal. Pergunta-se: É admissível a um Governador do PT permitir que uma greve se arraste em seu governo por quase quatro meses ininterruptos? Isto num setor chave e considerado pelo partido como de alta importância e balizador da emancipação cidadã de nosso povo? Por que o Governador não foi, a partir do 15 dia sem solução da mesma, até a assembléia dos professores, com o seu secretariado, conversar, dialogar, buscar a solução para o problema? Para o povo, ficou a impressão de uma enorme arrogância de Jaques Wagner e do PT. Devemos lembrar que quem detém o poder da televisão e da mídia, é exatamente seu principal oponente no Estado, a família Magalhães, a quem interessava superdimensionar o fato e explorá-lo para provocar o máximo de desgaste nas vésperas da eleição.
  2. A greve dos policiais e a baderna conseqüente que a cidade viveu, potencializando a sensação de insegurança que a cidade e o Estado já vivia.
  3. O helicóptero de Wagner, que, tirando a mesquinharia óbvia, de imaginar que é plausível um Governador se deslocar de carro pela cidade que todos consideram como tendo um trânsito caótico, podendo ficar horas num engarrafamento, apenas ajudou a formar o cenário que mostrava um Governador distante de seu povo e pouco se importava com sua opinião.

Apoio dos Demais Candidatos

É preciso se perguntar, como pode um candidato que passa ao segundo turno de uma eleição e que recebe o apoio de todos os demais candidatos que ficaram para trás, não ter tido este fato revertido na maioria destes apoios em votos para sua candidatura? Talvez a resposta a esta questão esteja no assunto anterior, a população votou contra Jaques Wagner e o PT, resolveu mostrar o seu protesto. E o pior que o Cacareco, o macaco Tião da vez, era nada mais, nada menos, que ACM Neto e seus votos foram computados. Desta forma ACM Neto, venceu no segundo turno, Rogério Da Luz, Mário Kertesz, Marinho, Lula, Dilma, Jaques Wagner, Aloizio Mercadante e o PT. Não meus queridos não se pode dizer que foi pouca coisa…

Desempenho do Prefeito Atual – Situação da Cidade

Como já visto acima, o marketing de ACM Neto foi competente em ligar os problemas de Salvador ao Governador e isto não trouxe desgaste de Neto que fazia parte da administração da cidade.

Desempenho do Candidato Próprio

O desempenho de Pelegrino foi mediano, mas faltou firmeza nos debates e sua dicção atrapalhou, era difícil entender o que ele dizia nos debates. No geral, olhando com os olhos do povão, que iria votar, no mínimo eles se igualaram, mas a imagem de maior confiança, firmeza, segurança ficou com ACM Neto.

Propostas Apresentadas

Durante a campanha para prefeito de São Paulo o Fernando Haddad apresentou um programa de governo para a cidade que foi discutido com amplos setores da sociedade paulistana, muitos se perguntavam como poderia o Serra não apresentar um programa de Governo para a cidade.

Pelegrino e ACM Neto também não apresentaram, contentaram-se em apresentar ações pontuais sobre segurança, trânsito, educação… Como podem candidatos se apresentarem à terceira maior cidade do país sem um projeto, um Programa de Governo consistente que abrangesse todas as nuances da administração da cidade. Esta é a forma que o PT irá continuar tratando o povo baiano? Com desrespeito e falta de diálogo?

Enfim, depois de tudo que foi dito e discutido, certamente pode-se observar que o resultado das urnas em Salvador e na Bahia foi muito negativo ao PT.

Permitir o ressurgimento do DEM na Bahia, dando-lhe uma sobrevida em nível nacional, através da vitória em Salvador.

Aumentar o número de prefeituras na Bahia através do oferecimento da legenda a quem nunca foi, nem nunca se identificou com o partido, ou, muito menos, com suas bandeiras de Justiça Social, assemelhando-se a micro legendas de aluguel, como, em particular na cidade de Potiraguá, através de Luis Soares (Quem?) que foi eleito prefeito.

Cada um enxerga o que quer…

Eu, de minha parte, penso de forma diversa. Houve uma derrota estrondosa do PT na Bahia, e faz-se necessária uma reflexão séria sobre a voz das urnas e questionar as pessoas que estiveram à frente das eleições na Bahia sobre o seu desempenho e a direção que estão dando ao futuro do partido em nível estadual.

A inexistência de novas lideranças a despontarem no Estado é outro indício sério a ser discutido. Mas, quem sabe no ano que vem possamos comemorar de vez a ressurreição do DEMO na Bahia? O Jaques Wagner poderia sair candidato ao Senado e deixar o Otto Alencar como Governador da Bahia. Com possibilidade de reeleição. Bacana, não? O que vocês acham?

Anúncios

O Mundo nos Ombros

31/10/2012

Por Fábio Brito

 

A dor que se sente não é real

A dor que se sente não está presente

É algo ainda distante

Embora te pareça insuportável

 

Uma força e poder

incomensuráveis

Aguardam para te abater

 

Ador que se sente não é real

É apenas a sensação de algo

que se aproxima

E que você começa a perceber

Mas Deus te deu forças para carregá-la

Te anima

E segue.


A Criação da Realidade

31/10/2012

O Sonho Que Não Sonhei No Governo FHC

Nayde

Há alguns anos atrás, costumava passar na TV as várias viagens do Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, nas quais ele era condecorado, aplaudido, ganhava prêmios de intelectual do ano, e na TV desfiavam um rosário de elogios ao seu mandato.

E a mídia dizia: “tudo vai bem”, “o Brasil está uma maravilha”, “nunca tivemos um presidente tão bom e tão inteligente quanto este”. E eu, na minha mais pura ignorância política, sorria amarelo, pensando um tanto deprimida, porque esta maravilha toda de Brasil não está acontecendo por aqui? Porque continuo na mesma dificuldade, e todos a minha volta andam a passos curtos assombrados pela falta de oportunidade? Nada a minha volta havia mudado. Ainda via os mesmos rostos assustados das pessoas, preocupadas com suas dívidas, com a comida que era pouca, e com a grande falta de emprego. Aliás, quem tinha um emprego, precisava agüentar o diabo para se manter nele, pois para uma única vaga, haviam centenas de pessoas famintas para ocupá-la.

Nesta brilhante época de Fernando Henrique, lembro-me perfeitamente do terrorismo que faziam em nossas mentes, sobre a possibilidade de mudar a presidência para um “Lula” da vida. O Brasil certamente desceria ladeira abaixo, seria um caos total, eleger uma pessoa sem estudo, um “Zé-ninguém”, que estudou em lugar nenhum, que fala um português de periferia, isso jamais poderia acontecer, era o que pregava a mídia em geral.

Tive tanto medo do que poderia acontecer conosco, com meus familiares, com o Brasil em geral, que não votei em Lula, e rezei para que ele não fosse eleito, e não acabasse com o Brasil.

Como todos devem saber, Lula venceu as eleições e assumiu a presidência em 2003. Nesta época pairava uma expectativa muito grande em nossa família. Algo como quem espera uma sentença, uma catástrofe, falávamos e nos preparávamos para o pior.

Porém, o pior não vinha, e começávamos a ficar confusos. O que víamos era exatamente o contrário, a coisa estava começando a ficar boa, e boa de verdade, aliás, acho que pela primeira vez é que estava realmente ficando boa. Dava para sentir.

Por onde eu andava via pessoas otimistas com seus negócios, outras com seus estudos (devido as bolsas do pró-uni), o bolsa família resgatando pessoas da miséria e do descaso absoluto. Meu deus, ninguém me contou, eu vi!!! Me envergonho do medo que tive de votar numa pessoa como o Lula, que fez tanto pelo país.

E contraditoriamente a mídia agora só passa terrorismo contra o PT. Não da para entender. Não entendo nada de política, mas sei muito bem ver a realidade ao meu redor. E ela é muito melhor agora.


A Derrota de ACM Neto para a Prefeitura de Salvador

27/10/2012

Por Fábio Brito

 

Salvador estará, amanhã, dia 28/10/2012, escolhendo seu novo prefeito entre duas propostas diametralmente opostas em suas concepções: uma popular e que acredita no diálogo entre as forças da sociedade e outra autoritária e arrogante que se disfarça para seqüestrar a credibilidade do vizinho para si.

Uma proposta que participa e é fiadora das mudanças a que nosso país tem visto a partir da assunção de Lula ao Governo Federal em 2002, em que o país tem diante do mundo uma inserção soberana, discutindo com os demais países em pé de igualdade, que tem dado a seu povo ânimo para enfrentar a pior crise econômica que o mundo atravessa desde a o ano de 1929.

Ânimo este baseado em integração à sociedade de mais de 40 milhões de pessoas antes esquecidas nas beiras de estradas, embaixo de viadutos e nas ruas. Salário mínimo valorizado, com mais empregos criados mês a mês enquanto países como a Espanha enfrentam desemprego a taxas de 25% de sua população em idade de trabalho e aumentando a cada dia.

De outro lado uma proposta que tenta dissimular aquilo que verdadeiramente é e representa, o atraso, a arrogância, a brutalidade expressa em suas diversas vertentes.

ACM Neto, sai desta eleição, no entanto, mesmo sem que ainda tenha sido colocado um voto nas urnas, e ainda que venha a obter a maioria dos votos dos cidadãos soteropolitanos, como a imagem personificada da derrota amarga de alguém que, para não sair escorraçado das zonas pobres da capital da Bahia, tenha que negar tudo que disse e fez para parecer algo que não é.

De principal opositor aos programas de integração do Governo Lula como Bolsa Família, Prouni, Luz para Todos, Minha Casa, Minha Vida, Reuni, para exemplificar, passou a se fazer defensor entusiasmado, em seus programas eleitorais, alegando, inclusive, que parte dos créditos do Bolsa Família se deve ao seu avô, cuja família enriqueceu enchendo as bolsas, às expensas do patrimônio de cada baiano que empobrecia sem esperança de dias melhores.

Neto se diz um dos parlamentares mais influentes no congresso nacional e, no entanto, contraditoriamente, nada tem a ver com a decisão do seu partido de entrar na Justiça contra quase todos os programas do Governo Lula ou Dilma, que buscam resgatar uma dívida histórica de nosso país para com o seu povo, tão sofrido e maltratado por aqueles que deveriam protegê-lo.

Sua grosseria leva-o a chamar seu oponente, em um debate, diversas vezes, de mentiroso, demonstrando que o velho espírito do LOBO que ele incorporou quando ameaçou “dar uma surra” no presidente Lula ou em qualquer um de seus companheiros, ainda está presente debaixo da pele de cordeiro. O Netinho, que agora promete doces para o povo, esconde os dentes e as garras e defende o vovozinho querido.

Matreiro, num destes debates, aproveitando o bombardeio midiático acerca do assunto do Mensalão, pergunta para o Pelegrino se ele continuaria defendendo seus companheiros de partido após estes terem sido condenados pelo STF por formação de quadrilha e corrupção ativa. Ao ser confrontado pelo seu oponente sobre o escândalo do Mensalão do DEMO, com o governador Arruda, comprovadamente pego em filmagens escabrosas, informou que seu partido o expulsou no primeiro momento.

Não é bem verdade. O fato é que integrantes de uma família sabem muito bem o que tem em seu sangue, em seu DNA, e não poderiam deixar seu partido ser exposto diariamente com provas tão absolutamente claras e contundentes. Mas não foi no primeiro momento como ele informou, pois este foi gasto tentando acalmar os ânimos do colega para que ele não jogasse a m… no ventilador, e, após combinarem pelo silêncio deste, e a sua resignação, vai saber de que forma obtida, então, e só então, o expulsou.

Mas, diante da falta de resposta do Pelegrino a se ele continuaria a defender os companheiros agora condenados, me permito a responder:

– Não se abandona um amigo ferido à beira da estrada.

Lugar de corrupto é na cadeia, porque eles são os responsáveis por haver tanta miséria e injustiça no mundo.

No entanto, saltam aos olhos que a condição para existir um corrupto é que sua vida pessoal, financeira e patrimonial esteja muito além daquilo que suas posses oficiais lhe permitiriam manter.

Este fato não existe no caso em questão pois o José Genoino, Delúbio Soares e José Dirceu não vivem além de suas posses, nem aumentaram o patrimônio como seria de se esperar de pessoas qualificadas como de alta periculosidade, como quer fazer parecer o STF.

Aos meus companheiros dedico a presunção de inocência que você não poderia, jamais, dedicar aos seus, por conhecê-los e saber como agem, que, por fim, é a mesma forma que seu avô e sua família usaram para amealhar o patrimônio e poder que detém hoje.

Por fim acredito que, em seu devido tempo, que certamente não será tão rápido quanto o STF fez correr este julgamento para poder ajudar a vocês do DEMO e do PSDB nestas eleições, a responsabilidade de cada um será aferida, e, certamente, o nosso povo vai entender um pouco mais da história de nosso país e perceber que, os que estiveram ao lado dos que prenderam e torturaram a mulher que hoje é a presidente de todos os brasileiros e brasileiras e que por eles é querida, continuam a ser exatamente aqueles que sempre viraram as costas para todas as suas aspirações de cidadãos.

Encerro este texto dizendo que votar não pode ser encarado por nós como um ato qualquer. Tudo na vida tem o seu oposto, o preto tem o branco, o magro tem o gordo, o alto tem o baixo e assim sucessivamente. A política é a mesma coisa. Devemos nos perguntar quem realmente está do nosso lado? Quem, além das palavras, honra com atitudes que beneficiam não somente a mim e minha família mas a maior parte das pessoas?

Dizer que político é tudo igual e que não existem ideologias, não passa de baboseiras que nos dizem diariamente para nos trazer desesperança de que nosso poder possa servir para mudar a nossa própria condição de vida.

Nós sabemos daquilo que precisamos e não devemos nos deixar enganar.


Salve Salvador!

27/10/2012

Análise & Opinião| 25/10/2012

DEBATE ABERTO

www.cartamaior.com.br

Logo agora que o povo de Salvador poderia reconstruir a sua cidade e sua dignidade, agora com o apoio do governo estadual e do governo federal… logo agora, quando a sorte parecia nos sorrir finalmente, novamente  nos assombra e ameaça a sombra do retrocesso. É uma lástima. Salvem Salvador!

Lula Miranda

Esta é uma saudação desse seu filho saudoso, mas também é um pedido de salvamento, de resgate, de socorro. Uma saudação e um pedido que faço aos meus conterrâneos: salvem Salvador!
Sim, também sou apenas mais um retirante vivendo aqui em São Paulo. Não um retirante da seca ou da pobreza, certamente, mas um retirante do famigerado carlismo. Meu pai, já falecido, sofreu com as agruras e perseguições dessa gente. Meus irmãos também sofreram. Eu,  “raspa do tacho”, também  sofri. Essa gente, que tanta dor e sofrimento causou a tantos, essa gente quer voltar. Essa dor e sofrimento não podem voltar.
Apanhei por diversas vezes da truculenta polícia do velho “coroné”. Foram tantas as vezes que perdi a conta e a exata lembrança ou noção. Uma vez, lembro-me bem de escutá-los dizer, entre risos, safanões e bordoadas, que apanhava por ser um “cabeludo safado”. Outra vez  apanhei por ser “metido a poeta e jornalista”. Das outras, nem lembro ao certo o motivo. Mas se apanhei, como têm a desfaçatez de dizer esses “senhores”  até hoje, foi porque “mereci”. Simples assim.
Eram outros tempos. Tempo pretérito, preterido, mas que pretende se tornar presente, mais uma vez. Não passarão! Não voltarão! Os que não viveram esses tempos, ainda bem,  não têm a mais remota noção do que é a humilhação de ser subjugado pela força do arbítrio e pelo medo, nunca sentiram a dor da chibata estalando no lombo. Talvez por isso, por desconhecimento e inocência, pensem em  votar agora em verdadeiros verdugos. Pretendem, sem perceber, devolver a chibata e a força para aos seus próprios algozes. Abolição.
“Porrada dada ninguém tira”. Não à toa, e só quem é da Bahia, sabe aquilatar a força dessa expressão popular e o que ela representa: o estupro da dignidade do cidadão.  A violação da cidadania. Abolição.
Sim, esse tempo passou. É passado. Mas, desgraçadamente, repito, pretende voltar. O lobo agora volta na pele de cordeiro. O velho oligarca pretende, redivivo, das sombras renascer e se impor na pessoa de seu Neto, seu herdeiro.
O tempo passou. Porém nunca me esqueci das reiteradas humilhações, o mandonismo. Também nunca perdi o meu desejo de um dia retornar, com a Graça do Nosso Senhor do Bonfim, à minha Salvador, agora livre da chaga do carlismo. Não mais. Não mais!? Abolição.
“Não permita Deus que eu morra sem que um dia eu volte para lá”. Esse canto doído gritado por mim, quase todos os dias, todas as manhãs, entre o alarido ensurdecedor dos carros nas marginais da cidade de São Paulo, acalentava minha  melancolia de migrante. Agora o desalento me abate, minha Salvador parece ficar mais distante.
Visito Salvador sempre, ao menos duas vezes por ano, e sou testemunha de sua “ruína”. Encontrei uma cidade suja, fedida, com lixo por toda a parte. O mais perfeito retrato do descaso e do abandono.
Lá pude ver um verdadeiro monumento à incompetência do prefeito da minha cidade. Uma linha de metrô de pouco mais de 6 Km, creio, que nunca acaba de ser construída. Após tantos anos em construção, boa parte já está depreciada. “Aqui tudo ainda é construção e já é ruína”  – como diria o outro poeta [cito seus versos aqui de memória] que hoje, para meu ainda maior desalento,  revela-se um líder de um suposto e bastardo “TROPICARLISMO”.
Logo agora que o povo de Salvador poderia reconstruir a sua cidade e sua dignidade, agora com o apoio do governo estadual e do governo federal… logo agora, quando a sorte parecia nos sorrir finalmente, novamente  nos assombra e ameaça a sombra do retrocesso. É uma lástima.
Emocionado, dedico-lhes essa crônica em forma de súplica: “Não permita Deus que eu morra sem que um dia eu volte para lá”. Salvem Salvador!

Lula Miranda é poeta e cronista. Foi um dos nomes da poesia marginal na Bahia na década de 1980. Publica artigos em veículos da chamada imprensa alternativa, tais como Carta Maior, Caros Amigos, Observatório da Imprensa, Fazendo Média e blogs de esquerda.


No Caminho, com Maiakóvski

27/10/2012

Assim como a criança humildemente afaga a imagem do herói, assim me aproximo de ti, Maiakóvski.

Não importa o que me possa acontecer por andar ombro a ombro com um poeta soviético.

Lendo teus versos, aprendi a ter coragem.

Tu sabes, conheces melhor do que eu a velha história.

Na primeira noite eles se aproximam e roubam uma flor do nosso jardim.

E não dizemos nada.

Na segunda noite, já não se escondem: pisam as flores, matam nosso cão, e não dizemos nada.

Até que um dia, o mais frágil deles entra sozinho em nossa casa, rouba-nos a luz, e, conhecendo nosso medo, arranca-nos a voz da garganta. E já não podemos dizer nada.

Nos dias que correm a ninguém é dado repousar a cabeça alheia ao terror.

Os humildes baixam a cerviz; e nós, que não temos pacto algum com os senhores do mundo, por temor, nos calamos.

No silêncio de meu quarto a ousadia me afogueia as faces e eu fantasio um levante; mas amanhã, diante do juiz, talvez meus lábios calem a verdade como um foco de germes capaz de me destruir.

Olho ao redor e o que vejo e acabo por repetir são mentiras. Mal sabe a criança dizer “mãe” e a propaganda lhe destrói a consciência.

A mim, quase me arrastam pela gola do paletó à porta do templo e me pedem que aguarde até que a Democracia se digne aparecer no balcão.

Mas eu sei, porque não estou amedrontado a ponto de cegar, que ela tem uma espada a lhe espetar as costelas e o riso que nos mostra é uma tênue cortina lançada sobre os arsenais.

Vamos ao campo e não os vemos ao nosso lado, no plantio.

Mas ao tempo da colheita lá estão e acabam por nos roubar até o último grão de trigo.

Dizem-nos que de nós emana o poder mas sempre o temos contra nós. Dizem-nos que é preciso defender nossos lares mas se nos rebelamos contra a opressão é sobre nós que marcham os soldados.

E por temor eu me calo, por temor aceito a condição de falso democrata e rotulo meus gestos com a palavra liberdade, procurando, num sorriso, esconder minha dor diante de meus superiores.

Mas, dentro de mim, com a potência de um milhão de vozes, o coração grita – MENTIRA!

 

Eduardo Alves da Costa


PT terá registro cassado

26/10/2012

Por Fábio Brito

 

O Supremo tribunal Federal deu a senha; a cúpula do partido dos Trabalhadores, o seu comando, reúne pessoas que se organizaram para saquear o Brasil. Formam uma quadrilha. Alguns, agora, condenados à prisão. Após finalizar o processo 470, ainda em curso, já em seus instantes finais, espera-se para os próximos capítulos, entrada neste mesmo supremo, pedido de cassação do registro partidário do PT.

Enquanto algumas pessoas pensam que o golpe se dará com a possível perseguição a LULA e DILMA, a direitona ri e se prepara para o GOLPE que, está mais do que claro, acontecerá diante de todos e, sem disparar um tiro, como era prática usual no passado recente, irá varrer o PT do mapa eleitoral brasileiro. O STF está pacificado, enquadrado pela direita midiática e, com seu beneplácito, decretará o fim do PT no país.

Chega a ser risível que expoentes de alto grau do partido acreditem que irão vencer no voto e que isto basta. Que ganhar a eleição na capital de São Paulo, por exemplo, será suficiente para comprovar que o povo brasileiro acredita no PT e não se deixou levar pela pantomima encenada em seu tribunal maior, o STF.

Será mesmo possível que pessoas acostumadas ao meio político acreditam que a direita vai perseguir ao LULA e a DILMA e ir ao embate direto contra um povo que os dá cerca de 90% de aprovação?  Fato este capaz de causar uma comoção nacional e levar ao posto máximo do país QUALQUER nome que venha a se contrapor a este fato defendendo aos dois expoentes máximos da política atual em nosso país?

INGENUIDADE

Não, não acredito que pessoas acostumadas ao meio político por tantos anos e tendo, inclusive, alguns, passado pelas agruras de um país ferido por uma ditadura que solapou os mais elementares direitos de nossa cidadania, consigam ser tão ingênuos a este ponto. A direita sem voto deste país, urde, agora às escâncaras, e tendo como balões de ensaio bem sucedidos, Honduras e Paraguai, com GOLPES PARLAMENTARES apoiados judicialmente, um GOLPE JUDICIAL à brasileira, onde o parlamento estará de fora da festa, no que diz respeito à defenestrar o partido mais querido da população brasileira e que recebeu mais votos nesta eleição, 17 milhões.

GOLPE ASSÉPTICO, RECICLÁVEL E JUDICIALMENTE SUSTENTÁVEL

O Brasil entrará para a história política mundial ao criar o golpe asséptico perpetrado por juízes, sem a necessidade do desgaste do parlamento que irá ser preservado para manter a aparência de que a democracia no país não foi ferida e se mantém intocada.  Um parlamento na medida para a direita sem voto: sem o PT.

Desta vez apenas o STF entrará em campo usando as leis em vigor para colocar ordem na casa e devolvendo aos braços da direita o direito de comandar a agora 6ª maior economia do mundo. Não haverá ruptura do Estado de Direito, os batmans do STF, com suas reluzentes capas pretas de heróis do obscuro, irão decretar o fim do PT apenas porque resta mais que provado (sem provas, diga-se) que o Partido dos Trabalhadores, trata-se apenas de um agrupamento de bandidos, de quadrilheiros, em que o que os diferencia dos PCC e Comando Vermelho é apenas a forma usada para assaltar os cofres da nação, sendo tão ou mais perigosos e causando tanto desassossego com o uso de seus ternos e gravatas quanto os fuzis daqueles.

Haverá quem se levante e diga que não é possível que todos os mais de milhão de filiados do partido ajam da mesma forma que algumas pessoas no comando, no que serão prontamente contestados com a observação de que o que importa mesmo são as pessoas nos postos  principais e que tem o poder de decisão, restando aos demais apenas a função de inocentes úteis a levar ao povão as decisões da cúpula. Ademais, como se investigar este milhão de filiados? Quebrar sigilos, bancário, telefônico, fiscal e tudo mais? Não seria necessário, pois o que importa mesmo é que os seus medalhões estão condenados em decisão na ação 470, o famoso Mensalão.

DILMA PERDERÁ MANDATO

Cassar o registro partidário do PT, então, será como um passeio no parque em dia de sol. Mamão com açúcar. Como os “crimes” do mensalão, aos quais seus comandantes foram condenados, remontam a tempo anterior à eleição da Presidente Dilma, os ministros do STF, por tabela, irão inferir que, a eleição desta, se deu de forma fraudulenta e cancelarão a diplomação de Dilma, no momento em que o PT tiver seu registro cassado, anulando todos os votos dados a ela.

Daí surgem algumas dúvidas: Irá o STF empossar o segundo colocado naquela eleição ou convocará nova eleição apenas com os candidatos inscritos na eleição cancelada? Irá entregar o comando do país de forma escancarada ao Nosso querido e amado José Serra? Ou provocará uma nova eleição com este e a candidata verde, Marina Silva? Alguém arrisca um palpite?